2019-04-15

Comunicação Eficaz em Equipas de Saúde * Ordem dos Médicos: Secção Regional do Centro


A Comunicação é fundamental para a sustentabilidade e eficácia de qualquer equipa.
As dificuldades na comunicação são o principal motivo para os conflitos, para a dificuldade no alinhamento de toda a equipa e para a falta de envolvimento dos elementos da equipa.
Devemos considerar para a excelência na comunicação a linguagem corporal, a voz e o conteúdo da mensagem.
O objetivo da comunicação é fundamental e podem ser usadas técnicas específicas para cada tipo de comunicação. Assim, podemos ter diferentes tipos de comunicação para o interior ou para o exterior. Será útil dominar a arte de realizar um pitch, fazer um discurso persuasivo ou motivacional, dar feedback eficaz a quem nos rodeia, realizar briefings, comunicar a mudança ou más notícias, saber gerir conflitos ou ainda delegar corretamente.
Para comunicar bem? 
Aprender e… treinar, treinar, treinar…

A Ordem dos Médicos, Secção Regional do Centro, sabendo da importância da comunicação para o bom funcionamento das equipas de saúde, quer ao nível do bem-estar de cada profissional, quer ao nível dos resultados obtidos pelas equipas, vem dar a oportunidade dos seus membros para poderem ter um dia de reflexão, debate e experimentação de técnicas relacionadas com a comunicação.


Data: 27 de Abril de 2019
Local: Sede SRCOM, sala Miguel Torga
Limite máximo de participantes: 16

2019-04-05

Viagens ao mundo da formação * 2019, Janeiro/Março 2019








As viagens de janeiro a março de 2019, ao mundo da formação, proporcionaram experiências formativas de variadas e de enorme interesse. Como é habitual, houve uma presença em vários clientes e instituições com vários temas a marcar a agenda dos projetos:
* Coimbra Business School (professor convidado nas Pós-Graduações de Marketing Digital e de Negócios Internacionais)
* IPN - Instituto Pedro Nunes (Gestão da Inovação)
* CHUC - Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (Atendimento ao Público para profissionais de Saúde)
* Hospital de Santa Maria (uebe.Q: software para sistemas de gestão da qualidade, ambiente, segurança, Inovação, …)
* Conservas Ramirez (uebe.Q: software para sistemas de gestão da qualidade, ambiente, segurança, Inovação, …)
* Instituto Eneagrama Shalom (Autoconhecimento e Desenvolvimento Pessoal)
* Cais Pharma (Autoconhecimento e Desenvolvimento Pessoal)
* Novaqui (Gestão da Inovação)
* J. Soares Correia (uebe.Q: software para sistemas de gestão da qualidade, ambiente, segurança, Inovação, …)
* Informesp e Gestluz (Gestão da Inovação)

E assim foi acontecendo durante o ano de 2019.

A todos, o muito obrigado.
É sempre um imenso prazer partilhar conhecimentos com tanta gente e aprender muito com essas mesmas pessoas. É uma troca de saberes absolutamente deliciosa.

Contactem-me para informações nestas áreas.
Contactem-me para manifestar o vosso testemunho sobre as formações.
Contactem-me para proporem desafios para novas formações.

Vejam algumas notas sobre algumas das formações deste período:
Penso logo existo ou comunico logo existo?
Os seus mitos sobre criatividade!

Podem ver alguns testemunhos de participantes aqui.
Podem ver alguns serviços que estão disponíveis aqui.
Há igualmente a possibilidade para conceber serviços à medida das suas necessidades.

Podem ver outras viagens aqui ou aqui.

Os meus contactos são para serem usados:
e-mail: pmcpaiva@gmail.com
Telefone: 966.353.017

Até breve

2019-02-25

Agência Digital Lavva na Coimbra Business School


O Tiago Castro da Agência Lavva esteve na Coimbra Business School, na Pós-graduação de International Business, a partilhar a sua experiência em processos de internacionalização. Tem uma grande experiência e esteve envolvido em vários processos. Quando a Ana Filipa e o Rodrigo Gomes me desafiaram a trazer algumas pessoas interessantes e com experiências inspiradoras, não tive qualquer dúvida que uma dessas pessoas seria o Tiago.

De quando em quando ouço as histórias do Tiago em momentos de boa conversa, completamente informais. Esta foi uma excelente oportunidade para ouvir uma reflexão sobre a forma como geriu os diferentes processos de internacionalização. O grau de informalidade manteve-se a níveis elevados e foi muito bom ouvi-lo a contar várias das suas experiências pessoais em termos de internacionalização com o apoio que deu à algumas empresas, entre as quais, algumas em África na Europa ou em São Francisco. Falou da abordagem aos processos e sobre questões de estratégia e de posicionamento de diferentes empresas, sempre tendo em consideração o país ou zona geográfica onde se pretendia atuar.

Atualmente continua com várias experiências em processos de internacionalização, ajudando empresas suas clientes a conquistar novos mercados pelo mundo fora.  mas desta vez com clientes seus, que estão espalhados por todo o mundo!

O Tiago tem muitas histórias e muito saber acumulado com base nas experiências que foi tendo ao longo da vida... Na mais profunda África ou na futurista São Francisco, com o seu Silicon Valley e todo o ecossistema adjacente, foi ótimo ouvir, aprender e compreender melhor as dificuldades e as maravilhas associadas aos processos de internacionalização.

Se estivesse responsável por fazer um resumo do seminário do Tiago, citaria o próprio Tiago e diria que "Quase tudo se resume a relacionamentos. Afinal somos todos pessoas!“

Seja em processos com clientes, com fornecedores, com parceiros... Seja em Portugal, na Europa, em África, na América ou em qualquer outro local, o relacionamento interpessoal é extremamente importante para que os negócios possam ocorrer. Afinal, fazemos negócios com pessoas antes de fazermos com empresas.

Para saber mais sobre o Tiago, vejam uma caracterização dos colaboradores, num aniversário algures no tempo:

"O Tiago é aquele gajo que chamaríamos de esquizofrénico, maluco, ou outra coisa do género…mas não, isso são apenas alguns traços da sua genialidade! Amante da bola e do bom vinho, o Tiago tem 2 pés esquerdos e produz o pior vinho. Mas, nem tudo é mau. Publicitário de formação, copy por experiência, director de agência, naturalmente. 
Um tipo porreiro que sabe fazer de mau (e bem!) quando tem de ser. Um menino cheio de talentos, portanto!
É o homem do leme na Lavva e será, com toda a certeza, um dos responsáveis pelo maior sucesso da agência.
Hoje, está de parabéns, mas quem a faz a festa somos nós. É bom poder trabalhar com ele e partilhar o dia-a-dia com todas as suas personagens. Parabéns Tiago"


2019-02-03

Quais são os seus mitos sobre criatividade?

Quais são os seus mitos sobre criatividade?
Os que escolho como mais significativos, mais presentes no dia a dia das pessoas e organizações, são os apresentados na figura seguinte:


Há quem pense que a criatividade está associada à inspiração divina, só ao alcance de uns quantos escolhidos pelos deuses... Este pensamento existia no tempo dos gregos e dos romanos, em que havia deuses a quem se pedia inspiração.

No entanto, este tipo de pensamento ficou de tal maneira incrustado no pensamento popular sobre a criatividade que, muitas pessoas se consideram não criativas, ou que a criatividade está ao alcance de apenas uns favorecidos. 

Há boas notícias para gente que pensa assim... A criatividade está ao alcance de todos! 
É nosso dever identificar os mitos, as crenças, as ideias pré-concebidas sobre criatividade e de os desconstruir, de forma a conseguir aproveitar o potencial criativo das pessoas em todas as circunstâncias: família, comunidade, empresa, escola, em qualquer lugar. Todos estes contextos podem ser alvo de melhorias significativas com a transformação da criatividade em inovação.
Com formação, treino e mudança de crenças, podemos melhorar a nossa capacidade criativa. Se houvesse um criatividómetro para medir os níveis de criatividade, poderíamos ver os efeitos surpreendentes que poderíamos obter com a atividade regular de melhoria de criatividade.

Escreva, faça vídeos, crie infra-estruturas adequadas, crie jogos, defina novas formas de se reunir com a sua equipa, faça desenhos, faça cozinhados e bebidas... Experimente sem medos! Poderá não ser um Walt Disney, ou um chefe Chakall, pode não ser um novo Saramago ou um Ricardo Araújo Pereira, poderá não ser um Ole Kirk Kristiansen, um Silva Vieira ou uma Paula Rego, poderá não ser o melhor dos melhores, mas será com certeza muito melhor, muito mais divertido, muito mais produtivo, mais querido pelos seus e quem sabe, mais feliz!

É importante identificar os nossos mitos sobre criatividade, racionalizá-los, desviá-los e tornarmos o nosso pensamento mais produtivo.

Por mim, vou continuar a fazê-lo com as pessoas das empresas e com os alunos com quem me vou cruzando.

Outros artigos sobre criatividade:
Criar implica erro... O erro, quando nasce, é para todos!
A criatividade é realmente importante?

2019-01-23

A Google também tem flops

A Criatividade dá origem a muitas e variadas soluções. Nem sempre são bem sucedidas e podemos enumerar imensos casos. Em culturas organizacionais, as falhas nem sempre são bem vistas. Quem quer acertar à primeira, ou querer que todas as propostas sejam um sucesso, ou andam na lua ou nunca geriram um projeto inovador.
De facto, os gigantes também falham e a Google, um gigante que tem os seus pilares numa inovação que tornou a empresa única (algoritmo do motor de busca), está a mostrar-nos como há soluções que precisam de ser encerradas, fechadas, descontinuadas, paradas, suspensas, ...

Pode ler a notícia original no seguinte link app de mensagens da google começa a ser retirada, ou ler a transcrição a seguir:

"App de mensagens da Google começa a ser retirada este ano

Alguns utilizadores das ferramentas de produtividade G Suite deixarão de poder usar a Hangouts.

Por: Miguel Patinha Dias
A Google veio a público clarificar os planos para a sua app de mensagens Hangouts, a qual falhou em agregar interesse dos utilizadores desde que foi lançada em 2013. De acordo com uma publicação de blogue da tecnológica de Mountain View, a Hangouts começará a ser retirada em outubro de 2019.
Neste primeiro momento, a app deixará de estar disponível para alguns utilizadores do pacote de ferramentas de produtividade G Suite. Assim, é de esperar que a Hangouts venha a ser lentamente retirada, com o encerramento final a acontecer algures em 2020.
Como recorda o Digital Trends, a Google já havia afirmado que não encerraria a app clássica do Hangouts até que todos os utilizadores migrassem para as versões Chat e Meet, pelo que o ‘timing’ exato em que a app será encerrada continuará a ser um mistério."

2019-01-16

50 Regras de Ouro da Gestão ou talvez menos.

Photo by Victor Garcia on Unsplash

Há uns tempos, o jornal Dinheiro Vivo publicou as 50 regras de ouro da gestão.
Fiquei com esse documento visível durante alguns anos para ir lendo formas de ver a vida de pessoas com iniciativa, com vontade de fazer algo diferente.
50 empreendedores, disseram uma frase que poderia ser um lema de vida, ou uma frase norteadora da sua ação.
Agora, em altura de destralhar papelada, deixo aqui as frases que, de alguma forma, têm significado maior:


  • Cria, Inova e Surpreende com experiências únicas e diferentes
  • Move-te pela paixão: Contagia quem está à tua volta
  • Criatividade, persistência, muito trabalho e um sorriso na cara
  • Tem em cada cliente um amigo
  • Faço sorrir? Então tenho um sorriso de volta
  • Gasta pouco na primeira versão do produto
  • Sai do escritório para angariar utilizadores à mão
  • O sucesso do teu negócio só depende de ti
  • Trabalha para o equilíbrio do corpo e da alma
  • Sê rápido e eficiente na resposta
  • Nada vai correr como planeado
  • Perseverança e incansabilidade alimentadas pela vontade
  • Simplifica a comunicação, a logística, o preço e a oferta
  • Falha mais depressa, tenta com mais força
  • o não é garantido
  • Mantém as coisas simples
  • Faz e Partilha
  • Não tenhas medo de vender o teu peixe
  • Acredita no produto
  • Ouve os teus clientes
  • É sempre mais difícil, demora sempre mais tempo e custa sempre mais
  • Leva apenas as pessoas certas para dentro da empresa: talentosas, livres e responsáveis
  • Junta pessoas e ideias 
  • Usa o design como drive do negócio 
  • O masterplan é a pílula do dia seguinte das ideias
  • Sê criativo 
  • Coloca-te sempre no lugar do cliente 
  • Feito é melhor do que perfeito

2019-01-09

Penso, logo existo? ou comunico, logo existo?



O mote para iniciar a aula de Pitching, na Pós-Graduação de INTERNATIONAL BUSINESS | Estratégia, Marketing e Inovação, na Coimbra Business School, foi o apresentado na imagem acima. 

Falámos na importância da comunicação quando se procuram novos mercados. 
Analisámos algumas técnicas de apresentação para potenciar negócios, parcerias ou captura de talentos para um projeto.

Agora, é tempo de pôr em prática os conceitos aprendidos e treinados. 
Em casa, no escritório, nas aulas, com a família, com o cão e o gato, com @s amig@s, em qualquer rua, tasca, praia ou hotel há oportunidades para praticar. 
Pratica... 
Pratica... 
Pratica!
Comunicar é uma constante. 
Comunicar é uma arte.

Desejo que consigam - e eu também - fazer da comunicação não um suplício, mas uma arte! 

2019-01-08

Viagens ao mundo da formação * 2018, Setembro/Dezembro 2018

As viagens de setembro a dezembro de 2018, ao mundo da formação, foram ricas e diversificadas, com a presença em vários clientes e com vários temas: 

* Decriativos
* Wavecom
* MOAVE (Cabo Verde)
* RedeRia
* CB Consulting
* UBI - Universidade da Beira Interior
* IESh - Instituto Eneagrama Shalom
* CBS - Coimbra Business School
* IPN - Instituto Pedro Nunes
* Cais Pharma
* FBB - Fundação Bissaya Barreto
* Conservas Ramirez

Em diferentes temas e áreas de atuação:
* uebe.Q: software para sistemas de gestão da qualidade, ambiente, segurança, Inovação, …
* Gestão da Inovação * Inovação e Criatividade.
* Gestão da Qualidade * Sistemas de Gestão da Qualidade (ISO 9001:2015).
* Gestão da Qualidade * Auditorias a Sistemas de Gestão da Qualidade.
* Gestão da Inovação * Sistemas de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação (NP 4457).
* Liderança e Desenvolvimento Pessoal * O Eneagrama e o autoconhecimento (para líderes, gestão de equipas, relacionamentos,...)., etapa I: a identificação da personalidade.
* Pitching - Apresentações poderosas.
* Tertúlia: O Eneagrama e os relacionamentos (como se relacionam as pessoas com diferentes tipos de personalidade).
* Liderança e Desenvolvimento Pessoal * Gestão do Tempo - A sublime arte de gerir o tempo.

E assim foi o último quadrimestre de 2018. Sempre complementando com outras atividades que dão enorme prazer, relacionadas com consultoria, auditorias e acompanhamentos pessoais (desenvolvimento pessoal).  

A todos, o muito obrigado. A paixão pela formação é grande e a partilha de conhecimentos traz-me grandes momentos, grandes pessoas e sinto sempre que recebo mais do que o que dou.

Contactem-me para informações nestas áreas.
Contactem-me para manifestar o vosso testemunho sobre as formações.
Contactem-me para proporem desafios para novas formações.

Vejam algumas notas sobre algumas das formações deste período: 

Podem ver alguns testemunhos que foram dados aqui.
Podem ver alguns serviços que estão disponíveis aqui
Há igualmente a possibilidade para conceber serviços à medida das suas necessidades.

Se tiverem curiosidade em saber o que ocorreu nem 2018, antes do Verão, podem ver em:

Os meus contactos são para serem usados:
Telefone: 966.353.017

Até breve

2018-12-02

Gestão do Tempo na Fundação Bissaya Barreto


Momentos... Quando trabalhar nos dá grande satisfação... Preparar a gestão do tempo! Estes são momentos em que estive a desenvolver à medida a formação de Gestão do Tempo para um conjunto de profissionais da Fundação Bissaya Barreto​. É sempre um desafio que encaro com muito entusiasmo. Foi muito bom encontrar, mais do que profissionais, as pessoas que fazem uma Fundação de grande importância e que fez e faz a diferença na vida de muitas pessoas. Gostei das pessoas que encontrei: com vontade, empenho e desejosas de saber como melhorar a sua relação com o tempo.

Foi ótimo saber que algumas entraram na formação a pensar que seria uma seca e saíram a dar por muito bem empregue o tempo em que estivemos juntos a debater o tempo e como o tornar útil mais agradável e útil para cada um dos presentes. Se a minha ação tiver algum impacto no seu dia-a-dia, sinto que é mais um momento em que acrescentei algo à minha missão de vida.

Se puder tornar um pouco melhor a vida de quem está preocupado em assegurar o funcionamento de uma fundação que torna a vida dos outros mais fácil, melhor, é um excelente motivo para sorrir.
Obrigado, Helena Cravino​, Fausto Moreira​, Sofia Neves​ e todos os outros participantes na formação. Aprendi imenso convosco.

2018-12-01

DIANA PRATA: A EMPATIA É UMA VANTAGEM EVOLUTIVA


A empatia é uma característica que vem na grande maioria das listagens de características necessárias para um são convívio entre pessoas. Podemos estar a falar de lideranças, de relações profissionais, de relações familiares ou qualquer relação entre dois ou mais seres humanos. Acredito que a empatia nos torna seres humanos melhores, mais decentes e que é uma característica que nos permite diferenciar o ser humano dos animais irracionais.

Ao encontrar esta entrevista, houve duas questões que me atraíram de imediato para a leitura da entrevista à investigadora Diana Prata. Uma delas, é uma citação da própria: «A empatia é uma vantagem evolutiva, não convém nada perdê-la»... Vantagem evolutiva? vamos lá aprofundar a entrevista!
A segunda questão?
Uma investigadora com menos de quarenta anos e com um laboratório com o seu nome? Claro que estou imensamente curioso... Quero saber mais sobre esta investigadora, que na entrevista nos explica a influência de algumas hormonas, com grande ênfase na oxitocina, e o seu impacto em diversas áreas da nossa vida, como:algumas doenças, comportamento social, os dilemas sociais e impacto nas decisões do dia a dia, a importância do contexto para uma pessoa ser mais ou menos afetuosa, os sistemas de recompensa e sua ativação pelo facto de comermos doces, termos sexo ou cooperarmos e sermos generosos...

Uma entrevista muito interessante e que nos dá pistas para percebermos melhor como funcionamos.

Podem ler a publicação original em: Life.DN
Ou ler a transcrição da notícia abaixo.

DIANA PRATA: «A EMPATIA É UMA VANTAGEM EVOLUTIVA, NÃO CONVÉM NADA PERDÊ-LA»

2018-11-21

Ser workaholic é motivo de orgulho ou de mudança?


Ser workaholic ou não? Qual é a perspetiva dos colegas sobre um workaholic? Qual a dos líderes de uma organização? Como encarar uma pessoa que deixa a família, os amigos e tudo o que lhe causa satisfação para se concentrar, de forma doentia no trabalho? É motivo de orgulho, ou motivo para análise e mudança de atitude? O que ganham os patrões? A curto, médio e longo prazo? Porque há líderes que promovem o equilíbrio entre a vida pessoal e a vida profissional e outros há que ficam todos babados com a perspetiva de umas horas de trabalho suplementar sem pagamento associado?

Todas estas situações foram motivo de análise e reflexão no curso de Gestão do Tempo que estamos a realizar numa instituição. Curiosamente, apareceu-me a rúbrica da Ruth Manus que está muito apropriada ao debate que tivemos.

A rúbrica original pode ser consultada em: A geração que acha que trabalha muito mas na verdade só trabalha mal e tem um título muito sugestivo, acompanhada de um texto que diz muito do que acontece em muitas organizações. Vamos ler abaixo:

2018-11-19

Gestão do conhecimento * aspetos positivos e negativos


A gestão do conhecimento é fundamental nas organizações.
Como em qualquer área, há aspetos positivos e dificuldades e obstáculos associados à implementação de um sistema de gestão do conhecimento (SGC).
Numa sessão recente em que a GC foi tema abordado, verificou-se que, apesar dos aspetos positivos decorrentes da GC, que são importantíssimos na sustentabilidade da maioria das organizações (para não dizer em todas), há dificuldades de ordem prática que impedem uma eficaz e continuada aplicação de métodos de gestão da GC.
Na prática, e com base no trabalho de gestores que sentem na pele os benefícios e as dificuldades da gestão do conhecimento, ficam abaixo alguns aspetos positivos e outros negativos, que são sentidos no dia a dia por quem gere as empresas.

Dificuldades/obstáculos:
  • Disponibilidade dos responsáveis para definir as metodologias.
  • Resistência à mudança.
  • Falta de "duplicados" para a partilha.
  • Génese humana
  • Auto-avaliação dos RH da empresa
  • Conflitos de interesse
  • Confidencialidade
  • Falta de apoio dos gestores
  • Registo das atividades poderá não ser prioritária
  • Individualismo
  • Forma de ser da pessoa que não passa conhecimento
  • Sistemas de Informação
  • Tempo
  • Envolvimento de todos os colaboradores
  • Registo e tratamento do conhecimento organizacional
  • Tempo e disponibilidade de meios para organizar a gestão do conhecimento na organização
Aspetos positivos/benefícios:
  • Reduzir dependência de indivíduos
  • Uniformizar a base de conhecimento
  • Implementar as melhores práticas
  • Avaliar necessidades de formação
  • Avaliar o estado do conhecimento
  • Necessidade de recursos humanos
  • Garantir financiamento para I&D
  • Garantir transferência de conhecimento para produtos
  • Garantir áreas estratégicas para I&D
  • Garantir rendimentos pela venda de propriedade intelectual.
  • Não repetir erros do passado
  • Ter disponível o Know-how de experiências passadas dentro da organização
  • É um activo
  • É o segredo do negócio
  • Evita riscos/perdas
  • Estruturar por área.
Todos estes itens devem ser trabalhados ao longo dos tempos, nas organizações. Não basta estalar os dedos e esperar que a GC seja uma realidade. Aliás, temo que a GC nunca seja uma realidade por terminada, mas seja permanentemente um processo em curso.
O facto de serem gestores de empresas a partilharem a sua perceção, permite ir além da teoria e identificar alguns aspetos que podem e devem ser trabalhados.
O conhecimento de uma organização tem impacto na competitividade da empresa e no bem estar dos seus colaboradores. Assim, é fundamental que esta área de gestão seja tida em consideração, tanto nas reflexões estratégicas, como na ação diária, através da implementação de pequenas iniciativas que podem mudar e tornar a cultura das organizações mais sensíveis e atentas à gestão do conhecimento. Podemos ter duas abordagens distintas: a reengenharia global e radical dos processos e a melhoria incremental dos processos na GC. Qualquer uma das abordagens tem vantagens e desvantagens.
Assim, independentemente da abordagem que se tenha (reengenharia radical ou melhoria incremental dos processos), é fundamental recordar que, em ambos os casos, muitas pequenas ações podem mudar uma empresa e ultrapassar uma inércia natural e, muitas vezes aceite, na gestão das empresas e no seu processo rumo a maior sustentabilidade.
Assim, comece a refletir, determinar e implementar várias pequenas ações. Estas poderão ter um impacto surpreendente na GC da sua organização.

2018-11-18

Obrigada a profissionais como tu...

Todos sabemos o quão importante são os elogios, o reconhecimento das boas ações, do trabalho, do esforço e empenho.
Por vezes, vêm dos locais inesperados, pois "apenas" estamos a fazer o que é o nosso dever. Todavia, quando aparecem, são muito bem vindos e devem ser recordados essencialmente para nos motivar a fazer o nosso trabalho bem feito, a agir com boa fé e respeito pelas situações e desafios que nos são colocados no dia a dia.
Assim, é fundamental que tenha a noção de que o meu trabalho é positivo numa imensa maioria das situações em que me vejo envolvido. No entanto, pode aparecer uma situação ou outra em que aparece um momento menos positivos. Para que me possa recordar que, quando há momentos que podem não correr tão bem, há muitos momentos como o da imagem abaixo:


é fundamental deixar registado estes bons momentos. E quando estes elogios vêm de uma profissional como a Ana, assumem uma dimensão ainda maior.
O mais importante, é ter a noção de que fui útil para alguém, que dei o meu melhor para que várias pessoas pudessem tornar-se um pouco mais competentes (mesmo que com um impacto ínfimo). É igualmente importante ter a perceção de que as pessoas se sentiram bem, evoluíram e deram por bem empregue o tempo que passámos juntos.
Ana e Rodrigo, é um enorme prazer colaborar convosco nos diversos projetos que vão desenvolvendo com tão grande profissionalismo e observar a vossa atuação, e assim, tornar-me um pouco melhor. Tem havido várias situações. Para recordar:



Desta forma, quando aparecem os raros momentos em que algo corre mal, é bom ter estes gatilhos para relembrar como há tanta gente e tantos lugares onde foram proporcionados momentos significativos, agradáveis e úteis.
Desejo mesmo muito que continue a ter o contacto e a possibilidade de trabalhar com tanta gente de qualidade e interessante que tem passado pela minha vida e que tenha força para todos os dias trabalhar para alcançar os resultados desejados. Que estes maravilhosos reconhecimentos, sejam uma consequência natural da atitude e empenho que pratico e operacionalizo nos vários projetos em que participo, pois dotam-nos de uma força, uma motivação e uma vontade enorme de continuar o caminho, pois ficamos com mais certezas sobre a importância do caminho que traçamos todos os dias.

2018-11-16

Viagens ao mundo da formação * 2018, Setembro e Outubro

As viagens de Setembro e Outubro de 2018, ao mundo da formação, foram ricas e diversificadas, com a presença em vários clientes: 

* Decriativos
* Wavecom
* MOAVE (Cabo Verde)
* RedeRia
* CB Consulting
* UBI - Universidade da Beira Interior
* IESh - Instituto Eneagrama Shalom

E em variadas áreas de atuação
Em diferentes temas e áreas de atuação:
* uebe.Q: software para sistemas de gestão da qualidade, ambiente, segurança, Inovação, …
* Inovação e Criatividade.
* Sistemas de Gestão da Qualidade.
* Sistemas de Gestão de Investigação, Desenvolvimento e Inovação.
* O Eneagrama e o autoconhecimento (para líderes, gestão de equipas, relacionamentos,...)., etapa I: a identificação da personalidade.
* Pitching.


E assim foram os meses de Setembro e Outubro. Sempre acompanhado de outras atividades que dão enorme prazer, relacionadas com consultoria, auditorias e acompanhamentos pessoais (desenvolvimento pessoal). Como sabemos, esses  projetos são contabilizados num campeonato à parte. 

A todos, o muito obrigado. A paixão pela formação é grande e a partilha de conhecimentos traz-me grandes momentos, grandes pessoas e sinto sempre que recebo mais do que o que dou.

Contactem-me para informações nestas áreas.
Contactem-me para manifestar o vosso testemunho sobre as formações.
Contactem-me para proporem desafios para novas formações.

Vejam o exemplo e a experiência de uma das últimas formações dada neste período: Eneagrama: etapa I - a identificação da personalidade.

Podem ver alguns testemunhos que foram dados aqui.
Podem ver alguns serviços que estão disponíveis aqui. Também podem ser concebidos serviços à medida das suas necessidades. 

Os meus contactos são para serem usados:
Telefone: 966.353.017

Até breve

2018-10-29

ENEAGRAMA * Autoconhecimento e Dinâmicas da Vida na Coimbra Business School

Adoro partilhar os meus conhecimentos e experiências com outras pessoas...
Acontece quase todos os dias.
Aconteceu, no sábado passado, na Coimbra Business School, a segunda sessão sobre o eneagrama, um sistema de autoconhecimento, com impacte no relacionamento connosco e com os outros.
Esta formação foi dada por mim e pela Liliana Constantino. Através do IESH (Instituto Eneagrama Shalom), do qual fazemos parte, e que tem mais de 20 anos de experiência no trabalho com o Eneagrama, com pessoas individualmente, com equipas e/ou com organizações.



Fico sempre imensamente satisfeito quando os comentários são:



ou



Felizmente, é habitual sentir energia extra proveniente das pessoas que vão frequentando os meus cursos e aqueles cursos em que colaboro... Dou o melhor de mim, e sei que são importantes e úteis para muita gente e para muitas organizações! Gosto de cumprir a minha parte no que concerne a tornar o mundo um lugar melhor para viver... É uma gota no oceano, mas melhora sempre alguém.
Palavras como as da Mónica ou da Alexandra são a minha grande motivação.

Obrigado a todos os presentes na formação pela sua entrega e envolvimento...

Obrigado a tod@s @s companheir@s, amig@s e gente boa do IESH pelo conhecimento e crescimento que vamos fazendo junt@s e pela possibilidade de partilharmos com outras pessoas estes temas que nos permitem ser pessoas e profissionais melhores.

Obrigado Coimbra Business School/ISCAC, pela vossa abertura e entusiasmo em nos receber de braços abertos e nos proporcionarem todas as condições para realizar estas atividades e conhecimentos relacionais, tão importantes e complementares aos saberes e competências puramente técnicas. Vocês são um exemplo do que é contribuir para a sociedade de uma forma bem disposta e orientada para as soluções.

Iremos continuar este nosso processo.
Até breve!

2018-10-25

A sério?... O mistério ardiloso dos descontos de 70%

Photo by Terry Vlisidis on Unsplash

Um texto fantástico para refletir sobre o respeito que algumas marcas têm pelos seus clientes... Por mim, por ti , por eles, por nós...

Ver o artigo original aqui, no Jornal de Negócios ou ler abaixo...

O mistério ardiloso dos descontos de 70%

Aviso prévio: se o leitor é fanático por promoções radicais de vinho e é dado a depressões, o melhor é não ler este texto. Passe à frente, que nós não o queremos triste.

Inês Lourenço
Edgardo Pacheco13 de outubro de 2018 às 19:00

Aos leitores, sugerimos umas conversas durante as próximas feiras de Outubro e Novembro com produtores e enólogos sobre estes assuntos dos mega-descontos. Vão ver que ainda descobrem outras histórias curiosas.

Todos os anos, o ritual repete-se: amigos e conhecidos trazem catálogos das feiras vínicas para eu assinalar as garrafas que considero boas compras. Sucede que, este ano, entre os pedidos e os comentários sobre os inúmeros vinhos de Pias e a abundância de Vinhas Velhas nos rótulos, havia esta pergunta: Vale a pena comprar vinhos com 65% e 70 % de desconto? Que é como quem diz: há algum esquema aqui escondido?

Se gosto de assinalar catálogos, confesso que, na história dos descontos, já me falta paciência para explicar a nublosa dos valores de descontos mais adequados a um souk de Marrocos do que a uma feira na Europa. De maneira que, imaginando que muita gente desconheça o método como se formam alguns destes descontos estratosféricos, tratemos do assunto. Quando me voltarem a fazer perguntas, ofereço uma fotocópia deste artigo. Ou mando o link, pronto.

Todos os grupos de distribuição fazem feiras e campanhas sazonais de promoção de vinho. Mas há campanhas e campanhas. Há grupos que praticam descontos entre os 20% e os 30% (valores normais), outros que vão aos 40% (coisa forçada) e um que chega até aos tais 70% de desconto: o grupo Sonae, dono da marca Continente. É, por razões óbvias, sobre este que nos debruçaremos.

Como se constrói este esquema dos 70%? De forma simples. Os comerciais do Continente chegam a um produtor e - vamos dar um exemplo que resume o espírito do negócio - dizem que precisam de uma nova marca com um preço de venda ao público de, por hipótese, €3,89, e pelo qual pagarão ao viticultor entre €2 e €2,5 (aqui os valores oscilam muito). Mas - cá está o detalhe - exigem que o produtor conceba um vinho que, no imaginário do consumidor, se posicione na faixa dos €13, por exemplo. Como? Com uma garrafa cuidada, um rótulo bem desenhado e um nome estratégico. Se vier com "velha", "manca", "pêra" ou um título nobre (marquês, conde ou visconde), melhor ainda. E, como tais vinhos comprados entre os €2 e os €2,5 dificilmente passariam numa câmara de provadores como Reserva ou Grande Reserva, não há problema. Uns serão Signature e os outros Premium. A cereja em cima do bolo é, sendo possível, juntar-lhe o chavão de Vinhas Velhas. E está feito o embrulho de algumas marcas de vinho Continente.

Em loja, esse vinho que custou entre os €2 e os €2,5 e que ninguém conhece ficará entre uma a duas semanas nos tais €13 (não registamos a margem especulativa nessa altura porque, na realidade, ninguém lhes deita a mão em cima). Passado este tempo, o vinho entra no maravilhoso mundo dos descontos Super Preço - entre os 65% e 70%. Assim, quando um consumidor compra esse tal vinho de €3,89, regista na sua factura um desconto de €9,10. É brutal! E, lá está, vai gabar-se junto dos amigos que fez um grande negócio. Só que - reflictam bem sobre isso, caros leitores -, ele, na realidade, pagou o preço justo por um vinho que, na produção, custou entre os €2 e os €2,5. Cerca de €3,89 é o preço correcto para o vinho em causa. Que não haja dúvidas. Mas, €13, nunca. O valor dos €13 tabelado apenas para preparar o estrondoso desconto dos 65% ou 70% é a armadilha para apanhar consumidores descuidados e deslumbrados com a cultura das promoções. Ponto final.

De resto, como poderia um hipermercado - cujas campanhas de promoção atira sempre para os produtores - ser tão generoso com os seus clientes? E, já agora, como poderiam os produtores viver com a oferta de descontos da ordem dos 65% ou 70%? A resposta é simples: porque tais vinhos nunca foram pagos em conformidade com o tal target dos €13.

Mas o curioso é que esta estratégia agressiva não resiste a um teste simples que qualquer consumidor pode fazer em casa com os amigos. E vamos a outro exemplo concreto. O Alvarinho Jardim Secreto 2017 tem como preço base €12,99 e é produzido para o Continente pela empresa Quintas de Melgaço. Pois bem, o Alvarinho da própria empresa - o QM - está à venda no linear do Continente por €8,99. Ou seja, este vinho histórico é €4 mais barato do que a nova marca que ninguém conhece. Lindo, não é? Mas, se provarmos um e outro, as diferenças são consideráveis. O Jardim Secreto é um branco banal que nem remotamente lembra Alvarinho, mas o QM Alvarinho - sem ser um vinho de encantar - cheira e sabe a Alvarinho. E mais. Na mesma prateleira podemos encontrar um Soalheiro com preço base de €11,99 e um Muros Antigos por €12,67. Provem estes dois Alvarinhos com o Jardim Secreto a €12,99 e vão ouvir as gargalhadas dos amigos a ecoar pela sala. Ou seja, se o leitor comparar o preço base dos tais Signature e Premium com o preço base - em idêntico patamar - das marcas-âncora das casas que deram origem aos tais vinhos Continente, verá que há qualquer coisa que não bate certo. Nem poderia.

Ora, se por um lado não existe nada de ilegal nesta estratégia agressiva do Continente (é só um acordo entre as partes), no plano ético, e no que diz respeito à ligação com os consumidores, não me ocorre outra expressão que não seja a das saudosas rábulas do Raul Solnado: "Malandrice!"

Se, por um lado, tenho a ideia de que quando certos consumidores entram num hipermercado deixam o cérebro no automóvel (ou é isso ou aqueles rectângulos alaranjados dos Super Descontos que emitem um gás que paralisa os nossos neurónios), por outro fico com perguntas para as quais não tenho resposta. Os produtores estarão condenados a alimentar estratégias destas? As comissões vitivinícolas regionais (CVR) não sentem necessidade de dizer qualquer coisinha (as CVR e, já agora, a Autoridade da Concorrência)? Faz sentido as associações de consumidores passarem ao lado deste debate?

Como não sei responder vou, entretanto, beber um copo de tinto Vinha da Coutada Velha 2017, feito no Monte da Ravasqueira que, lá está, por €3,89, não está nada mal. Mesmo. Mas nunca por €13, que é apenas menos €0,49 do que o preço do Vinha das Romãs 2015 da Ravasqueira. Curioso, não?